publicidade

Política

Em carta a punho, ex-presidente da OAS volta atrás de acusações que condenaram Lula no caso do triplex

por Neison Cerqueira no dia 15 de setembro de 2021 às 09:40
Foto: Reprodução

Denunciante de Lula, o ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, escreveu uma carta de próprio punho e voltou atrás das acusações que fez contra o ex-presidente Lula na sua delação premiada firmada com a Lava-Jato. Pinheiro foi um dos elementos que fez a investigação que acusava o petista de corrupção e tráfico influência junto ao governo da Costa Rica ser arquivada, como revelou a coluna. [Confira a cartão ao final da reportagem]

De acordo com o Blog da Bela Megale, de O Globo, o ex-presidente da empreiteira disse que nunca autorizou ou teve conhecimento de pagamentos de propina às autoridades citadas no caso. Segundo Pinheiro, não houve menção sobre vantagens indevidas durante o encontro ocorrido na Costa Rica. Esse documento foi uma das bases da defesa de Lula, liderada pelo advogado Cristiano Zanin, para solicitar à Justiça de São Paulo o arquivamento da investigação.

Léo Pinheiro afirmou também que não sabe informar “se houve intercessão do Ex. Presidente Lula junto à Presidente (ex) Dilma e/ou Ex. Ministro Paulo Bernardo”. “A empresa OAS não obteve nenhuma vantagem, pois inclusive não foi beneficiada por empréstimos do BCIE – Banco Centro Americano de Integração Econômica. Não sabendo informar se houve efetividade da solicitação do Presidente do BCIE, senhor Nick Rischbieth Alöe junto ao senhor Ex. Presidente Lula e demais autoridades citadas”, concluiu.

Pinheiro contou uma história diferente no seu acordo de delação premiada na Lava Jato. Ele relatou que, durante uma viagem a Costa Rica, pediu a Lula que realizasse uma audiência com Nick Rischbieth Gloe, presidente do Banco Centro-Americano de Integração Econômica (BCIE). 

Segundo Pinheiro, a reunião tinha como objetivo aumentar a participação do Brasil na estrutura societária da instituição financeira, “bem como credenciar a OAS a realizar parceria com tal Banco”. Ainda conforme o Blog, o encontro ocorreu na suíte onde Lula estava hospedado e que contou com a presença e dele de outro executivo da OAS, o diretor Augusto Uzeda. Em depoimento às autoridades, Uzeda negou a realização dessa reunião.

Pinheiro havia dito em delação que, na conversa, Lula se comprometeu em interceder junto a ex-presidente Dilma e ao então ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, para que fosse aumentada a participação do Brasil no BCIE. Ainda segundo Pinheiro, Lula ficou encarregado de intermediar um encontro entre Paulo Bernardo com com o presidente do banco, e que a participação da instituição financeira era fundamental para a expansão e financiamento dos negócios internacionais da OAS.

O ex-presidente da OAS não deve parar por ai. O blog afirmou que Pinheiro pretende fazer outras cartas voltando atrás em trechos de seu acordo envolvendo Lula. O ex-presidente Lula foi condenado no caso do triplex, hoje anulado pela Justiça.

A carta

Imagem

 

.

LEIA TAMBÉM:

Bahia volta aos treinos e inicia preparação para enfrentar o Bragantino

Notícias: Política

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar