publicidade

Saúde & Bem Estar

Manter o equilíbrio emocional é um ponto chave na reta final para o Enem

por Redação Radar da Bahia no dia 06 de janeiro de 2021 às 11:20
Foto: Reprodução

Ingressar no ensino superior é uma das formas mais indicadas para quem pretende iniciar uma carreira e se preparar para o mercado de trabalho. E o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é a porta de entrada para milhões de jovens terem acesso ao ensino superior. Mesmo com a rotina intensa de estudos para conquistar uma vaga na graduação, a proximidade das provas faz com que muitos candidatos se sintam ansiosos e com medo de não conseguirem vencer a maratona. 

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foram confirmadas 5.783.357 inscrições para o Enem 2020. Para muitos estudantes, o Enem é um dos grandes desafios para iniciar uma graduação. “A concorrência acaba sendo o principal motivo para desistência da prova, o que faz com que jovens abandonem o sonho de ingressar no ensino superior’, afirma a professora e doutora em psicologia da faculdade Unime Salvador, Luciene Figueiredo.

Para a especialista, cuidar da saúde mental e emocional pode ajudar muito. “Os impactos psicológicos e o sintoma da ansiedade atrelado à tensão, traz uma relação direta com o nosso bem estar emocional, ou seja, se o candidato apenas estuda, ele passa a abdicar de boas horas de sono, bater papo com os amigos, fazer atividade física, ter tempo em família e o próprio tempo para o ócio. Quando nosso corpo entra em exaustão significa dizer que o cérebro está cansado, neste caso, e por mais que o examinando tente focar no conteúdo mais difícil fica para estudar a matéria, resultando na não absorção das informações necessárias para seu aprendizado”, explica. 

Luciene ressalta que o ideal é avaliar os conteúdos que ainda precisam de um reforço e não perder a motivação. “Muitas vezes vemos alunos 'roubarem' horas de sono para estudarem, mas eles esquecem que é preciso dormir com qualidade para obter um bom aproveitamento do que foi estudado e, por consequência fazer o ciclo da aprendizagem cognitiva. Eu digo para os estudantes que no pré-enem, que o mais importante não são as horas de estudo e sim as horas de sono”, pontua.

Respeite os limites do seu corpo e da sua mente

A ansiedade passou a ser um dos efeitos causados pela pandemia de Covid- 19 e dificultou na preparação para o Enem. Com o isolamento social, apesar de necessário, muitos jovens sofreram alterações na saúde mental, pois tiveram que estabelecer uma nova rotina de estudo. 

A psicóloga lembra que ao perceber sinais de exaustão e cansaço é importante fazer uma pausa e não se culpar por esse momento. É necessário considerar que todos nós aprendemos um novo formato de estudo agora na pandemia, ou seja, não se cobrar tanto. É muito importante ter essa clareza da situação”, afirma. 

“Até o nosso funcionamento mental e biológico passou e está passando por adaptação, então é preciso ser generoso e acolher os medos e angústias nesse momento, se tiver muito difícil fazer isso, busque ajuda de um profissional para um aconselhamento psicológico”, finaliza a especialista.

 

LEIA TAMBÉM:

Ataque a tiros deixa três mortos e três feridos na praia de Jaguaribe

Notícias: Saúde & Bem Estar

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar