publicidade

Política

Bolsonaro gera constrangimento e indignação ao falar de racismo em discurso no G-20

por Whaley Emmanoel no dia 21 de November de 2020 às 18:00
Foto: Divulgação

Na abertura da reunião virtual da cúpula do G-20, o presidente Jair Bolsonaro reclamou de protestos contra o racismo no Brasil, e gerou um amplo constrangimento e choque entre algumas delegações estrangeiras e até indignação entre as agências da ONU. O presidente fez uma alusão à morte de João Alberto Silveira Freitas.

“O Brasil tem uma cultura diversa, única entre as nações. Somos um povo miscigenado”, afirmou Bolsonaro. “Foi a essência desse povo que conquistou a simpatia do mundo. Contudo, há quem queira destruí-la, e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças, sempre mascarados de ‘luta por igualdade’ ou ‘justiça social’. Tudo em busca de poder”, disse.

Uma parcela das delegações não entendeu imediatamente do que se tratava. Mas, para quem acompanhava a situação no Brasil, a atitude foi considerada como um ato “sem sintonia” com o discurso de direitos humanos das entidades internacionais, principalmente num momento em que a pandemia afeta de forma desproporcional a parcela mais vulnerável da população.

Uma negociadora de alto escalão de um país europeu que acompanha a reunião confessou à coluna que ela e outros ficaram “em choque” ao ouvir a “tese de conspiração” sobre o racismo no Brasil. “Como é que, em pleno século 21, ainda escutamos tais discursos”, questionou a diplomata, na condição de anonimato.

 

 

LEIA TAMBÉM;

Energia elétrica pode ser reestabelecida no Amapá ainda neste sábado (21)

Notícias: Política

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar