publicidade

Esportes

Após vazar trechos de conversas, Robinho, condenado por estupro, defende Bolsonaro e dispara contra a Globo

por Neison Cerqueira no dia 17 de October de 2020 às 12:00
Foto: Divulgação / Santos | Wilson Dias / Agência Brasil

Condenado pelo estupro de uma jovem na Itália, em trechos de conversas divulgados pela imprensa italiana e noticiados pelo Globo Esporte, da Globo, o jogador Robinho atacou a emissora e defendeu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que, segundo ele, também foi “perseguido” pela Globo. “Bebeto, tô em paz, irmão. Como falei, Deus está me preparando para algo muito maior. No deserto, é nesses ataques que você se aproxima de Deus e se prepara. A gente tem N exemplos aí. Você viu o que fizeram com o Bolsonaro antes da eleição? O ataque que fizeram ao cara? Falando que o Bolsonaro era isso e aquilo? Que o Bolsonaro era racista, fascista, que era assassino? E quanto mais eles batiam no Bolsonaro, mais ele crescia. Então estou em paz mesmo, de coração. Não estou preocupado com eles”, disse ele.

Robinho, que foi contratado recentemente pelo Santos, e um amigo, foram condenados a nove anos de prisão pela Justiça Italiana após o crime. O áudio vazou nas redes sociais, nesta sexta-feira (16). O jogador seguiu falando. “O bem sempre vence e a verdade vai aparecer. Os caras aí são pessoas usadas pelo demônio, né? A gente sabe como a TV Globo é uma emissora do demônio. É só você ver as novelas, as programações. Então eu estou em paz. Deus vai dar a vitória. Que se cumpra o propósito de Deus na minha vida. Meter gol neles, ‘tamo junto’. Vou meter uma camisa quando fizer gol: ‘Globo lixo, Bolsonaro tem razão'”, finalizou.

Pressão de patrocinadores e suspensão contratual

O Santos tentou resistir a suspensão ou distrato do contrato com o atleta após repercussão do caso na mídia, bem como pressão dos patrocinadores. Após perceber que pesaria no bolso, clube e jogador anunciaram a suspensão do contrato do jogador. Nas gravações, o jogador chegou a citar que a mulher estava alcoolizada e, por isso, não devia se lembrar de nada. Além disso, o atleta confirmou que colocou seu pênis na boca da jovem, o que para ele não configura transa. O caso aconteceu na boate Sio Café, em Mião, em janeiro de 2013. Robinho foi condenado em novembro de 2017.

 

LEIA TAMBÉM:

Brasil ultrapassa a marca de mais de 153,2 mil mortes por Covid-19

Notícias: Esportes

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar