publicidade

Saúde & Bem Estar

Acupuntura é alternativa para tratar sintomas do câncer de mama

por Redação Radar da Bahia no dia 11 de October de 2020 às 19:00
Foto: Reprodução

O câncer de mama apresenta vários sintomas ao longo dos seus diversos estágios. Além disso, o tratamento da doença também pode causar efeitos colaterais. Mas a acupuntura pode ser uma aliada no combate ao mal-estar do paciente durante ou até mesmo após esse processo. Em entrevista ao Bahia Notícias, o acupunturiatra e presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA), Fernando Genschow, explica como a técnica pode ser usada e quais são os benefícios. 

O especialista conta que as sessões de acupuntura durante o tratamento do câncer de mama podem aliviar a náusea e vômito induzido pela quimioterapia; as dores provocadas por tumores, desnervação ou medicamentos; ondas de calor produzida pelos tratamentos; quadros de ansiedade e depressão; queda das células brancas (leucócitos) do sangue; dor crônica e disfunção pós-mastectomia; dor neuropática com perda de força nos membros pela quimioterapia e a fadiga causada pela doença. 

Em alguns casos, também é possível que a intervenção acupunturiátrica ajude a prevenir o surgimento desses sintomas e efeitos colaterais. "Alguns efeitos como o mal estar e as náuseas da quimioterapia podem ser prevenidos. Quando começar o tratamento depende do diagnóstico e do estadiamento da doença. Alguns, por exemplo, só surgem, como efeitos colaterais do tratamento oncológico", explica Genschow. O serviço é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde 1988.

A acupuntura é uma especialidade da antiga medicina chinesa, considerada a modalidade cirúrgica da medicina tradicional chinesa e reconhecida no Brasil há 25 anos pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). O acupunturiatra explica que é feita a estimulação do sistema nervoso periférico e das regiões musculares "inervadas" com agulhas e estímulo elétrico sobre elas. "Essas inervações vão ter atuação sobre aquele local, sobre locais à distância do mesmo segmento de nervos e também vai chegar ao sistema nervoso central, e assim os efeitos terapêuticos alcançam todo o organismo". 

O especialista conta ainda que as agulhas são inseridas na pele, atravessam o subcutâneo, vão para as regiões musculares e podem até chegar à proximidade de ossos, buscando áreas específicas onde estão inervações especiais. Não há uso de anestesia, mas Genschow afirma que o procedimento não é doloroso. "Se a gente anestesiar, interfere e pode até bloquear o efeito da acupuntura. Não dói propriamente porque temos uma técnica para aplicar as agulhas". 

Ele aponta que algumas das sensações que podem ser observadas durante o processo são peso, distensão ou um pequeno choque. "Somente na hora que a agulha é colocada e manipulada. E quando é usada a estimulação elétrica, há a sensação de uma leve vibração ou movimento muscular, que muitos pacientes até acham agradável", lembra.

A continuação da acupuntura após o tratamento do câncer de mama depende de cada caso. São avaliados o estágio da doença e a resposta do organismo do paciente ao tratamento. Também não há recomendação de um período específico para começar o acompanhamento com a técnica. Genschow explica que pode ser no pós-operatório, acompanhando a quimioterapia, ou preparando o paciente para as intervenções.

Por fim, recomenda: "A acupuntura tem um efeito regularizador sobre o metabolismo. Então, quanto mais precocemente o tratamento for iniciado, maior será o benefício. Mas há variações e quem vai definir é o médico acupunturiatra, por meio do diagnóstico da doença, do estadiamento e prognóstico para cada situação.

Crédito: Gabriela Icó

 

LEIA TAMBÉM:

A ESPIRITUALIDADE FRANCISCANA NOS DESAFIA HOJE

Notícias: Saúde & Bem Estar

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar