publicidade

Política

Presidente da Câmara, Senado, OAB e ministro do STF repercutem pronunciamento de Bolsonaro

por Neison Cerqueira no dia 25 de March de 2020 às 09:30
Foto: Reprodução via Yahoo Notícias

A declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pegou todo mundo de surpresa diante do caos vivido por causa da Covid-19 (coronavírus) no mundo. Após o discurso dele, autoridades se manifestararam. 

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), divulgou nota criticando o posicionamento do chefe da nação. “Neste momento grave, o país precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje (ontem), em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção ao Covid-19. Posição que está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS)”, diz o comunicado. “Reafirmamos e insistimos: não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos. É momento de união, de serenidade e equilíbrio, de ouvir os técnicos e profissionais da área para que sejam adotadas as precauções e cautelas necessárias para o controle da situação, antes que seja tarde demais."

Na nota, Alcolumbre destaca que “a nação espera do líder do Executivo, mais do que nunca, transparência, seriedade e responsabilidade”. “O Congresso continuará atuante e atento para colaborar no que for necessário para a superação desta crise”, emendou o presidente do Senado, que cumpre quarentena após ter testado positivo para a doença.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também se pronunciou e nas redes sociais escreveu: “Desde o início desta crise venho pedindo sensatez, equilíbrio e união. O pronunciamento do presidente foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública. Cabe aos brasileiros seguirem as normas determinadas pela OMS e pelo Ministério da Saúde em respeito aos idosos e a todos que estão em grupo de risco”.

Felipe Santa Cruz, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), usou o Twitter para condenar o discurso: “Entre a ignorância e a ciência, não hesite. Não quebre a quarentena por conta deste que será reconhecido como um dos pronunciamentos políticos mais desonestos da história.”

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, também via Twitter, afirmou: “A pandemia do #covid19 exige solidariedade e co-responsabilidade. A experiência internacional e as orientações da OMS na luta contra o vírus devem ser rigorosamente seguidas por nós. As agruras da crise, por mais árduas que sejam, não sustentam o luxo da insensatez. #FiqueEmCasa”.

 

LEIA TAMBÉM:

Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias a partir desta quarta-feira (25)

 

 

Notícias: Política

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar