publicidade

Política

União gastou R$ 847 mil com assessores e motoristas de Lula durante prisão

por Daniel Serrano no dia 14 de February de 2020 às 11:00
Foto: Paulo Pinto/Fotos Publicas

Enquanto estava preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve uma equipe de assessores e motoristas ao custo de pelo menos R$ 847.282,62 pagos pela Presidência da República. As informações são do site UOL.

Segundo a reportagem, o valor é referente ao período de junho de 2018 até outubro de 2019. Os dados foram informados pela Secretaria-Geral da Presidência. O salário dos auxiliares de Lula pode chegar a R$ 13,6 mil cada um. Caso eles forem militares, como acontece com integrantes da equipe do petista, recebem remuneração extra por causa da função comissionada.

Por lei, todo ex-presidente brasileiro tem direito a uma equipe de oito pessoas, escolhidas por livre nomeação, paga com o orçamento da Presidência de forma vitalícia: quatro servidores para "segurança e apoio pessoal"; dois servidores para assessoramento e dois motoristas para os respectivos carros oficiais.

De acordo com a assessoria de Lula, a existência de uma equipe de apoio pessoal é estabelecida pela legislação. "Não é o ex-presidente que define isso, que está estabelecido por lei e vale para todos os ex-presidentes", disse.  Entretanto, não houve esclarecimento sobre que atividades os assessores, seguranças e motoristas desempenharam enquanto o petista estava na cadeia.

 

LEIA TAMBÉM: Falso dentista comparece à audiência e é preso

Notícias: Política

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar