publicidade

Polemizando

A "impreCionante" ignorância do ministro da (des) Educação

por Neison Cerqueira no dia 09 de January de 2020 às 08:20
Foto: Reprodução / Twitter

Que não era de esperar muita coisa do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é um fato, mas analisando a "cadeia hereditária" que o cerca, até que dá para entender um pouco como ele chegou no poder.

Esse texto não visa polemizar com o Palaciano - sobrevivi, 2019 -, mas ele será citado, até porque é de sua responsabilidade indicar ministros para gerir pastas. Como é o caso de Abraham Weintraub. Antes, a bola fora tinha sido a indicação de Ricardo Vélez Rodríguez. Pífio, mas tão pífio que não mereceu comentário e só é citado porque é como manda o figurino.

Em relação ao Weintraub, que na minha humilde opinião, colocando os dois num copo de liquidificador não dá meio, como economista e professor, ele deve ter faltado algumas aulinhas de português. Não é possível. 

Pior: é INADMISSÍVEL um ministro da EDUCAÇÃO errar tão grotescamente.

Depois de paralisação com "Z", o ministro teve a pachorra de escrever impressionante com 'C'. Pior que teve gente que ainda saiu em defesa e aplaudiu. Esperar o quê? 

Se estou surpreso? Não. 

Normal para um governo que politiza a educação proposta por Paulo Freire. Que critica o conhecimento nas universidades e o politiza, insiste em "kit gay", que diz que os livros da rede pública "tem muita coisa escrita". Esta última colocação foi feita pelo presidente da República, que se diz cristão.

Uma dúvida sincera: a bíblia é feita com figurinha ou o "presida" nunca a leu? Desculpa, mas não dá para entender.

Percebendo o conjunto da obra - muito mal construído, diga-se de passagem -, agora entendo o porquê das criticas feitas à Paulo Freire (1921-1997), filósofo brasileiro, educador que desenvolveu métodos para que adultos fossem alfabetizados. Que desenvolveu pensamento pedagógico assumidamente político, cujo objetivo era conscientizar o aluno em relação às parcelas desfavorecidas da sociedade, levá-las a entender sua situação de oprimidas e agir em favor da própria libertação. 

Cá com meus botões, e se Weintraub lesse a principal obra de Freire?

Que feio feio, ministro!

Sua pasta é uma das principais para a sociedade. Não é um deslize qualquer, é ignorância (sendo gentil, tá?) mesmo. E não, sem essa de "errar é humano". Se você apoia e fecha os olhos para o descalabro que é este governo, olha, tem que ser muito corajoso.

Lembro que no ano passado, após anunciar a liberação total de verbas para as universidades e institutos federais, o 'Çenhor' ministro imitou um meme "lacração" da internet, colocou óculos escuros (thug life) e afirmou: "AB (Abraham) is out!" - o meme em questão é sobre alguém que acabou de sair bem de uma situação. Na ocasião ficou feio. Eis então que o destino, irônico que só, tratou de fazer do ministro "p** loca", um meme. O problema é que este não tem nada de engraçado. É vergonhoso mesmo.

 

LEIA TAMBÉM:

CONFIRMADO: Bolsonaro cancela ida ao Fórum Econômico Mundial, diz porta-voz

Notícias: Polemizando

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar