publicidade

Política

Filho do presidente, Carlos Bolsonaro escolhe novo alvo: o porta-voz da presidência, general Rêgo Barros

por Neison Cerqueira no dia 23 de July de 2019 às 10:37
Foto: Renan Olaz / CMRJ

Filho do presidente Jair Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) utilizou o Twitter para criticar o trabalho que vem sendo desempenhado pelo porta-voz do Executivo, o general Otávio Rêgo Barros. O "filho 02" do presidente, que já havia se posicionado contra os cafés da manhã de sexta com o presidente e jornalistas, disse entender que os encontros expõem Bolsonaro sem necessidade. 

Carlos rebateu uma notícia da Revista Época que tratava sobre o assunto, Carlos afirmou que não criticava “homens, mas modus operandis” e disse que a comunicação do governo não é satisfatória. “Quando a militância espontânea cansar de defender o governo, que faz um bom trabalho, nada sobrará, pois sua comunicação é, e pelo jeito continuará sendo ruim, e então seremos massacrados pela mídia”, escreveu ele. 

Nesta terça-feira (23), em sua coluna na Veja, o jornalista Noblat escreveu que "poderia ter sido um tiro acidental ou esparso o dado no último fim de semana pelo garoto, o Zero Dois, no porta-voz da presidência da República, o general Rêgo Barros".

Segundo o colunista, a atitude de Carlos Bolsonaro "trata-se de mais uma batalha da guerra pelo controle da área de comunicação do governo que já produziu duas vítimas ilustres: os ex-ministros Gustavo Bebianno e Santos Cruz". "O atual secretário especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten, fez parte do pelotão de fuzilamento dos dois ministros. E faz parte do pelotão que tenta fuzilar Rêgo Barros", escreveu Noblat.

 

LEIA TAMBÉM:

Manifestantes queimam pneus e bloqueiam via em Simões Filho

Notícias: Política

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar