publicidade

Brasil

Conselho Nacional do Ministério Público pede para arquivar investigação de fuzilamento de músico

por Felipe Oliveira no dia 11 de June de 2019 às 16:20
Foto:

O Ministério Público Federal ( MPF ) no Rio vai deixar de investigar o fuzilamento com 83 tiros praticado por militares do Exército em Guadalupe, na cidade do Rio por conta de um pedido do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). 

O fuzilamento em abril matou o músico Evaldo Rosa e o catador de papel Luciano de Barros Goes. No carro estavam ainda mais quatro familiares do músico, entre eles o filho de sete anos de idade. O CNMP decidiu que o MPF deve abandonar a investigação e arquivar o procedimento criminal aberto, de forma que essa atribuição seja exclusiva do Ministério Público Militar (MPM).

O procurador-geral de Justiça Militar, Jaime de Cassio Miranda, defende que apenas os promotores militares cuidem do caso dofuzilamento pelo Exército no Rio.

Leia também:

CONFUSÃO: passageira confunde porta de emergência com a de banheiro e voo atrasa oito horas na Inglaterra

 

 

Notícias: Brasil

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar