publicidade

Mundo

AFIADO! Ex-primeiro-ministro de Portugal chama Moro de ‘indigno’ e ‘medíocre’

por Bernardo Rego no dia 24 de April de 2019 às 13:06
Foto: Reprodução

O ex-primeiro-ministro de Portugal José Sócrates acusou nesta quarta-feira (24) o ministro da Justiça do Brasil, Sérgio Moro, de ter sido um magistrado "indigno" e de ser um político "medíocre" e uma pessoa "lamentável", acrescentando que o mesmo desrespeita "princípios básicos do Direito".

O ataque foi feito em uma nota enviada à agência Lusa após algumas declarações proferidas em Lisboa por Sérgio Moro, que, enquanto juiz, foi responsável pela Operação Lava Jato e pela prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Em entrevista para a imprensa portuguesa, Moro identificou uma dificuldade institucional, tanto no Brasil, como em Portugal, no sentido da justiça conseguir avançar processos de corrupção contra políticos, como é o canto do ex-primeiro-ministro português.

José Sócrates reagiu caracterizando Sérgio Moro como "um ativista político disfarçado de juiz". Onde afirmou que o ministro brasileiro tem apenas "um mérito". "As palavras [por ele] produzidas confirmam o que já se sabia do personagem: Como juiz, indigno; como político, medíocre; como pessoa, lamentável", apontou o ex-chefe de Estado português.

Na nota enviada à agência Lusa, Sócrates considera que "é impossível ler a declaração do ministro da Justiça brasileiro sem um esgar de repugnância".

"Ela põe em causa os princípios básicos do direito e da decência democrática. Não, nunca cometi nenhum crime nem fui condenado por nenhum crime. Não posso aceitar ser condenado sem julgamento, muito menos por autoridades brasileiras", disse.

 

LEIA TAMBÉM:

“Governo não vai abrir mão das metas da Previdência antes de discutir na comissão especial”, afirma Marinho

Notícias: Mundo

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar