publicidade

Polemizando

No circo do Governo Bolsonaro, os expectadores não sabem quem é o palhaço principal

por Neison Cerqueira no dia 19 de February de 2019 às 16:35
Foto: Arte / Radar da Bahia

Acompanhar o que acontece no cenário político do Brasil atualmente é motivo óbvio para fazer você rir. Melhor do que qualquer filme de comédia estrelado por Renato Aragão - e falo com propriedade: que saudade dos “Simão, o Fantasma Trapalhão“. Ou quem sabe uma dessas comédias bem elaboradas que contam com excelentes atores como Paulo Gustavo, Ingrid Guimarães ou Mônica Martelli - desculpa se esqueci de alguém.

Sério.

Falar do Governo Bolsonaro é muito mais cômico do que assistir, por exemplo, a um espetáculo no circo. E por falar em circo, o brasileiro - precisamente seus eleitores - já pode (caso queira) começar uma campanha com hashtags nas redes sociais, né, não? Tipo: #SomosTodosPalhaços ou #BolsonaroMeEnganou (fique à vontade para usar a criatividade).

Será que teriam coragem? Sabe lá Deus. E temos que pedir proteção a ele (Deus) mesmo: oremos!

Cinquenta dias de governo e só vergonha. Bolsonaro ainda não correspondeu ao cargo de Presidente da República, visto que não tem pulso firme para tal. Afinal, quem governa é pai ou os filhos? Por falar em filhos, olha... o bicho pegou para o Gustavo Bebianno, hein? Carluxo (Carlos Bolsonaro) derrubou do pé de laranja (ops!) o então braço direito do papito.

Já pensou se essa bomba explode? Ou melhor, se a laranja madura cai na beira da estrada? Aposto que iam torcer para que o Queiroz não passasse de carro por cima da laranja. Vou preparar uma pipoquinha, comprar um ‘refri’ e aguardar o desfecho do LARANJAL DO PSL - que poderia virar filme, diga-se de passagem, mas como a Justiça desse país não funciona ou só funciona para alguns, infelizmente, vou ter que esperar - e haja milho para fazer pipoca.

Voltando.

Ainda sobre a queda de Bebianno, outro prato cheio. O presidente ioiô concordou com o filho - que é vereador no Rio e não tem cargo no Palácio do Planato (Mourão - que homem! - até questionou isso. Curioso... Habemus impeachment de Bolsonaro?), pelo visto não está nem aí para os últimos acontecimentos na capital fluminense: tempestade com vítimas, incêndio no CT do Flamengo com vítimas, matança da polícia em favela (que ele apoia), agressão de segurança e morte de jovem em supermercado. E ele não sai do Twitter: desinfluencer digital!

[Um adendo: deixa eu expor uma opinião pessoal aqui: como o Rio de Janeiro vota mal, viu? Valei-me!]

Voltando de novo.

Ioiô, na despedida de Bebianno - com muito açaí e suco de laranja, suponho -, Bolsonaro resolveu deixar mais explícito seu jeito indeciso de ser, já conhecido por tantas outras decisões tomadas - ou postadas - que não cumprira: ele, que havia concordado com Carluxo que o ex-auxiliar mentiu, nesta segunda (18), em vídeo divulgado na imprensa, agradeceu e enalteceu Bebianno.

Curiosidade: inclusive, o vídeo não foi postado em suas redes sociais: será que Carluxo compareceu na sessão da Câmara? Estranho...

Mas, “pera” aí, “nera” ele mentiroso, presidente?

Como elogiar um M E N T I R O S O, presidente?

Aí você me confunde, tem que mudar isso daí. Taokey?

O instável capitão abriu mão de fazer jogo duro contra seu agora ex-aliado e afirmou: “Reconheço sua dedicação e esforço durante o período que esteve no governo", disse em vídeo (semana passada ele era mentiroso, reforço!). Em outro trecho, Bolsonaro concordou (pode não ter sido caso pensado) com o ex-ministro. Ele reconheceu a "dedicação e comprometimento do senhor Gustavo Bebianno à frente da coordenação da campanha eleitoral em 2018".

Só que nesse caso aí, o pesselista exonerado e posto para escanteio por causa do mimado filho do presidente acertou em cheio. Só me assustei com o “Tenho vergonha de ter acreditado nele” (Calma, Bebianno! você não está sozinho, tem mais 57 milhões contigo!). Antes mesmo de Bolsonaro elogia-lo, Bebianno também havia afirmado que Bolsonaro “é uma pessoa louca” e “um perigo para o Brasil”. Até então nenhuma novidade. Se Bolsonaro, que não teve meu voto, me envergonha, imagine como o cara que ajudou a elegê-lo não está sentindo agora? Eu achei pesadão!

Meu amigo e minha amiga, Brasília é um picadeiro ao ar livre.

E nós, ‘cidadões’ (gostei da palavra criada pelo pensador contemporâneo Marcus Vinícius Rodrigues, presidente do Inep – você, estudante, que vai fazer o Enem, estude MUITO antes da prova) e os eleitores/defensores são os expectadores.

Uma outra curiosidade: e nesse carnaval, vai de rosa ou de azul?

Enquanto as cenas dos próximos capítulos não são divulgadas, “vamos dando risada que a vida nos chama não dá pra chorar”. A CUEStão é que eu quero ver o circo pegar fogo para continuar de boa comendo minha pipoca. Taokey?

 

LEIA TAMBÉM:

SUPER FENÔMENO: maior superlua do ano ocorre nesta terça-feira (19)

Notícias: Polemizando

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar