publicidade

Economia

Governo estuda redução de encargos sobre salário e descarta CPMF, diz secretário

por Débora Oliveira no dia 10 de January de 2019 às 15:58
Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (10), com a promessa de reduzir encargos trabalhistas incidentes sobre a folha de salários, o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou que o governo pode compensar a medida com a cobrança sobre faturamento de empresas ou com tributação indireta adicional.

A proposta do novo governo prevê uma desoneração ampla e, além da cobrança sobre faturamento, está entre as opções a compensação com um tributo indireto -que incide sobre produtos, e não sobre a renda.

"A desoneração da folha de salários aconteceu muito em cima de demandas específicas, setoriais. O que estamos trabalhando é na desoneração da folha de maneira geral, ampla e sistêmica", disse.

Para compensar a desoneração ampla da folha de pagamento, Contra descartou a implementação de uma nova CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

Segundo o secretário, o incentivo poderia ser compensado por tributação sobre faturamento de empresas ou tributação em outras bases, inclusive com tributos indiretos. Cintra não detalhou a proposta, que, segundo ele, ainda passa por simulações.

LEIA MAIS

Xii! Flávio Bolsonaro falta a depoimento sobre caso Queiroz

Notícias: Economia

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar