publicidade

Brasil

MAIS MÉDICOS: governo quer endurecer regra para desistência de profissionais

por Débora Oliveira no dia 06 de December de 2018 às 17:55
Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse nesta quinta-feira (6), que a pasta avalia endurecer as regras para profissionais que desistem de atuar no programa antes do prazo final do contrato, por conta da dificuldade em fixar brasileiros no Mais Médicos

Segundo Occhi, a ideia é que o valor de auxílio recebido tenha que ser devolvido de forma proporcional ao tempo em que o médico esteve no programa. 

Pela regra atual, médicos que ingressam no Mais Médicos não precisam devolver o valor de passagens aéreas e ajuda de custo para mudança caso fiquem no programa por seis meses. Hoje, esse auxílio pode chegar a até três vezes o valor da bolsa paga ao médico, ou R$ 35,4 mil.

"O médico, a depender da cidade onde vai, recebe uma ajuda de custo do Ministério da Saúde, que é uma atratividade do programa. Ele terá que devolver esse dinheiro caso desista e isso será de maneira proporcional, pro-rata. Se ficou seis meses, tem que devolver tudo. Se ficou um ano, tem que devolver proporcional", afirmou Occhi.

O contrato do Mais Médicos vale por três anos. Assim, caso o médico fique no programa apenas por um ano e meio, por exemplo, terá que devolver 50%.

LEA MAIS

SUSTO! Mariana Goldfarb é ameaçada com arma de fogo em briga de trânsito

Notícias: Brasil

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar