publicidade

Política

Justiça Federal do DF nega habeas corpus a Cunha

por Mateus Carmo no dia 12 de julho de 2018 às 17:00
Foto: © Adriano Machado / Reuters

O juiz titular da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, Vallisney de Souza Oliveira, optou por manter a prisão preventiva determinada contra o ex-presidente da Câmara dos deputados Eduardo Cunha (MDB-RJ), no âmbito da Operação Patmos, deflagrada no mês de maio de 2017 com base na delação da JBS.

A determinação ocorre em meio a idefinição dentro da Justiça Federal do DF, a respeito de quem vai ser o relator dos relacionados a essa operação, que acabou atigindo também o presidente Michle Temer, uma vez que tanto Vallisney como Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal, seriam os relatores naturais do caso.

A ordem do Superior Tribunal de Justiça (STJ) indica que, nesta solicitação específico, a decisão caberia a Vallisney. A justiça Federal do DF, entretanto, afirmou que isso não significa que já está definido que os processos da Patmos ficarão na 10ª Vara. 

Notícias: Política

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar