publicidade

Economia

IBGE aponta 27,7 milhões de brasileiros sem emprego, a taxa é maior entre pretos, pardos e mulheres

por Jones Araújo no dia 17 de maio de 2018 às 10:19
Foto: reprodução
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (17) a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) trimestral, nela consta que 27,7 milhões de brasileiros estão sem trabalho. A taxa de subutilização da força de trabalho ficou em 24,7% no 1º trimestre de 2018, a maior da série histórica da PNAD Contínua, iniciada em 2012. O contingente de subutilizados ( grupo que reúne os desempregados e os que fazem parte da força de trabalho potencial) também é o maior já registrado pela pesquisa.

No primeiro semestre de 2018 a taxa de desemprego subiu para 13,1%, ou seja, cerca de 13,7 milhões de brasileiros estão sem trabalhar. Amapá (21,5%), Bahia (17,9%), Pernambuco (17,7%), Alagoas (17,7%) e Maranhão (15,6%) são as maiores taxas de desocupação. Já as menores são em Santa Catarina (6,5%), Mato Grosso do Sul (8,4%), Rio Grande do Sul (8,5%) e Mato Grosso (9,3%).


O desemprego dos que se declararam brancos ficou com a taxa em 10,5% no 1º trimestre, abaixo da média nacional (13,1%), a dos pretos (16,0%) e pardos (15,1%) ficou acima. Atualmente, os pardos representavam 48,1% da população fora da força, seguidos pelos brancos (42,5%) e pelos pretos (8,4%). As mulheres também são as mais atingidas, a taxa de desocupação no 1º trimestre foi de 11,6% para homens e de 15% para mulheres. Segundo o IBGE, o nível da ocupação dos homens no 1º trimestre ficou em 63,6% e o das mulheres, em 44,5%.


Leia também:

TÁ COM MEDO? Defesa de Lula pede que delação da J&F não seja enviada a Moro

Notícias: Economia

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar