publicidade

Política

Bolsonaro janta com empresários, não cita pautas importantes, mas critica governadores e imprensa

por Neison Cerqueira no dia 08 de abril de 2021 às 08:40
Foto: Pablo Jacob

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se reuniu na noite de ontem (7) para um jantar com 25 empresários em São Paulo. Sem máscara, o presidente fez um discurso de cerca de dez minutos e praticamente não falou de vacinas. Nesse caso, citou que trabalha para imunizar a população, visando a retomada da economia no país. 

Insistente, Bolsonaro manteve o foco e criticou ao lockdown, repetindo os argumentos que costuma usar em suas falas recentes, com as críticas que faz aos governadores. Ele chegou a receber aplausos por duas vezes durante sua fala. 

Bolsonaro foi aplaudido ao reafirmar que o teto de gastos é intocável. E depois quando elogiou Paulo Guedes e brincou com o ministro da Economia. "Se o Paulo Guedes deixar o governo, vou pedir uma pensão, porque nossa relação já é de uma união estável", disse.

O presidente, que não falou nem em reforma administrativa e nem reforma tributária, também voltou a reclamar da imprensa. "Falam mal de tudo que eu faço. A única coisa que a imprensa ainda não disse de mim é que eu sou boiola", declarou.

Também discursaram empresários e banqueiros, entre eles Luiz Carlos Trabuco (Bradesco) e André Esteves (BTG Pactual). O tom dos discursos (curtos, de cerca de cinco minutos) dos empresários foi o de "não realçar os erros do passado e olhar para frente", relatou um dos presentes ao blog de Lauro Jardim, de O Globo. No jantar, pelo menos nenhum empresário elogiou o governo, mas tampouco se ouviram críticas.

Junto com Bolsonaro se sentaram os ministros Paulo Guedes e Fabio Faria; o presidente do BC, Roberto Campos Neto; os empresários Carlos Sanchez (EMS), José Isaac Peres (Multiplan), Rubens Menin (MRV e CNN), Rubens Ometto (Cosan)e Paulo Skaf; os banqueiros André Esteves (BTG) e Luiz Carlos Trabuco; e o anfitrião Washington Cinel.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ao contrário do presidente, circulou o tempo inteiro de máscara. Em dado momento, antes do jantar, Bolsonaro fez um questionamento em tom de gozação: "Ô Queiroga, tá de máscara? Tira a máscara, caralho", numa espécie de sugestão para abandonar o equipamento. 

O ministro, então, respondeu: "tenho que dar o exemplo. Para com essa mania de querer desmascarar as pessoas", disse ele rindo e com a máscara mantida no rosto. Ainda conforme o blog, os empresários chegaram todos de máscaras, e com elas ficaram um bom tempo. Mas aos poucos um e outro foi tirando a máscara no coquetel que precedeu o jantar.

Estiveram presentes no jantar com Bolsonaro: André Esteves (BTG), Candido Pinheiro (Hapvida), Luiz Carlos Trabuco (Bradesco), Carlos Sanchez (EMS), Alberto Saraiva (Habib's), Flavio Rocha (Guararapes), João Camargo (grupo Alpha de comunicação), João Carlos Saad (Band), Alberto Leite (F5 Securities), Claudio Lottenberg (Hospital Albert Einstein), Ricardo Faria (Granja Faria), Tutinha Carvalho (Jovem Pan), José Roberto Maciel (SBT). Vai ser em casa de um empresário de segurança, Washington Cinel.

 

LEIA TAMBÉM:

Salvador zera número de pacientes aguardando regulação em Upas

Notícias: Política

publicidade

publicidade

© Copyright 2018 - Radar da Bahia - Grupo Radar