por Carla Magalhães no dia 20 de abril de 2017 às 14:46

Rapidinha na Cozinha: Lombo de Bacalhau do chef Junior Durski


O chef Junior Durski, presidente da rede de restaurantes Madero, dá a receita de um dos seus pratos preferidos para esta época do ano, o Lombo de Bacalhau. “O Lombo de Bacalhau é um dos pratos mais pedidos do Durski e eu considero um prato muito saboroso. Como sempre digo, gosto de servir o que gosto de comer, por isso fiz questão de incluir no cardápio esta receita tradicional da minha família”, conta Durski. O chef compartilha duas boas dicas sobre o bacalhau. “Na hora de escolher, prefira o lombo de bacalhau dessalgado e congelado, que é muito bom. O processo de dessalga do bacalhau seco é difícil e demorado. Deixe isto para profissionais especializados. E antes de grelhar o lombo, seque-o em papel toalha.” Confira abaixo a receita do Lombo de Bacalhau Gadus Morhua: (Serve duas pessoas) Ingredientes: 600g lombo de bacalhau dessalgado 4 batatas médias 02 colheres de azeite de oliva 06 unidades de azeitonas verdes 06 unidades de azeitonas pretas 06 unidades de tomate cereja 04 dentes de alho com casca 02 ovos cozidos 02 cebolas fatiadas Modo de preparo: Grelhe o lombo de bacalhau no azeite de oliva por cerca de 10 minutos, até dourar e ficar macio. Cozinhe as batatas e deixe esfriar. Corte-as em rodelas e reserve. Enquanto o bacalhau doura, refogue a cebola e o alho no azeite de oliva até murchar. Acrescente as azeitonas, os tomates e as batatas. Deixe aquecer bem e coloque os ovos cozidos cortados em quatro. Coloque no prato o bacalhau e os legumes e monte a seu gosto. Regue com azeite de oliva e sirva.

por Carla Magalhães no dia 10 de maro de 2017 às 16:26

RAPIDINHA NA COZINHA: Arrumadinho de bacalhau


Quem não gosta de comer um bom bacalhau? Pois sim! Hoje, uma receita especial com Vevé Bragança. Confira! Ingredientes: 400 g de bacalhau tipo Ling ou Shaite refogado em azeite e cebola branca Arrumadinho de bacalhau Arrumadinho de bacalhau Foto: Michele Rodrigues 01 xícara de feijão fradinho cozido 01 xícara de farofa 01 xícara de vinagrete 06 azeitonas verdes sem caroço recheadas com pimentão cortadas ao meio. Modo de preparo: Em um recipiente misture o feijão fradinho à farofa e reserve. Em um prato grande e raso coloque o bacalhau no centro do prato, rodeie com a mistura de feijão com farofa, em seguida rodeie essa mistura com o vinagrete, decore com as azeitonas e sirva. O bacalhau Ingredientes: 400 g de bacalhau tipo Ling ou Shaite dessalgado sem espinhas e em lascas 01 xícara de cebola branca em rodelas ½ xícara de azeite de oliva Modo de preparo: Em uma frigideira aqueça o azeite e doure a cebola, acrescente as lascas de bacalhau e mexa até o mesmo estar cozido. O feijão fradinho Ingredientes: 01 xícara de feijão fradinho 01 dente de alho grande descascado e fatiado 01 folha de louro 03 litros de água filtrada Modo de preparo: Na noite anterior ao dia de cozinhar o feijão fradinho, coloque-o em uma tigela e cubra com água filtrada excedendo um dedo da superfície do grão, cubra com um pano e deixe de molho até o dia seguinte. No dia seguinte, coloque o feijão fradinho em uma panela juntamente com a água do molho, o alho e o louro. Complete com os 03 litros água e leve ao fogo alto. Quando começar a ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhar até os grãos amolecerem. Após estar cozido escorra desprezando as folhas de louro. A farofa Ingredientes: 06 a 08 colheres de sopa de farinha de copioba 01 colher de chá de manteiga 01 colher de sopa de azeite de oliva 01 colher de sopa de cebola branca cortada picada Sal a gosto. Modo de preparo: Em uma frigideira aqueça o azeite e doure a cebola. Acrescente a manteiga e mexa até homogeneizar. Depois acrescente a farinha e o sal sempre mexendo até a farofa ficar com um tom amarelado. O vinagrete Ingredientes: 01 xícara de cebola branca picada em cubos pequenos 01 xícara de tomate vermelho sem casca e sem sementes, picado em cubos pequenos 01 colher de sopa de salsa picada grosseiramente 02 colheres de sopa de azeite de oliva 01 colher de sopa de suco de limão Sal a gosto. Modo de preparo: Em um recipiente a crescente a cebola e o suco de limão e deixe descansar por 10 minutos. Depois acrescente o azeite, os tomates, a salsa e misture tudo. Acrescente o sal 5 minutos antes de servir. Harmonização de vinhos: Vinhos Verdes brancos, vinhos finos brancos da cepa Sauvignon Blanc ou vinhos finos tintos jovens das cepas Gamay, Pinot Noir ou Cabernet Franc ou vinhos finos tintos jovens de Assemblagem. Mais Informações Sobre Vevé Bragança Click: http://www.vevebraganca.com.br/

por Carla Magalhães no dia 17 de fevereiro de 2017 às 19:18

RAPIDINHA NA COZINHA: Risoto de Arroz Negro com Frutos do Mar


Em comparação com o arroz branco, o arroz negro apresenta 30% a mais de fibras e 20% a mais de proteínas, além ser rico em ômega-3. Também possui vitamina A, complexo B, proteínas, vitamina C e E. O arroz negro ainda é menos calórico que o arroz integral.Esse grão é rico em antocianina e antioxidantes, substâncias que garantem a cor escura do alimento. E na verdade como nós gostamos de encantar… Fazer um prato que foge do tradicional é tudo de bom! Então vamos lá INGREDIENTES Para o risoto 400 g de arroz negro 130 g de cebola bem picada 120 g de manteiga 400 ml de vinho branco seco 120 g de queijo parmesão ralado 2 litros de caldo de camarão Sal a gosto Frutos do mar 400 g de camarões limpos 300 g de lulas limpas, cortadas em anéis 300 g de filés de robalo cortados em cubos Mini legumes para decorar (cenouras baby e aspargos) 120 ml de azeite de oliva Ervas picadas o quanto basta (sálvia, alecrim e tomilho) ¼ dente de alho amassado Sal e pimenta-do-reino Para decorar Cenoura baby e aspargos a gosto MODO DE PREPARO Para o risoto Eu gosto de deixar o arroz de molho por pelo menos 3 horas. Depois, em uma panela de fundo grosso, coloque metade da manteiga e refogue a cebola, que deve ficar transparente. Acrescente o arroz e vá mexendo. Quando estiver quase grudando na panela, coloque um pouco do vinho branco e do caldo de frango. Repita a operação toda a vez que o arroz começar a pregar no fundo, mexendo sempre, por cerca de 30 minutos. Quando o grão estiver quase al dente, colocar o restante da manteiga e o queijo parmesão. Acerte o sal. Para os frutos do mar Em uma frigideira antiaderente e de fundo grosso, coloque um fio de azeite e grelhe, separadamente, o robalo, as lulas e os camarões. Junte os três e volte para a panela, acrescente o alho, as ervas e, por último, o azeite de oliva restante. Coloque pimenta-do-reino e sal a gosto. Montar os pratos, colocando uma porção do risoto e, por cima, os frutos do mar. Decore com cenouras baby e aspargos branqueados.

por Carla Magalhães no dia 10 de janeiro de 2017 às 14:41

Hummm...Qual o melhor? Camembert, Brie, Roquefort ou Gorgonzola?


Em um cenário onde apenas na França (era considerada a “terra do queijo) onde mais de 400 tipos, podemos concluir que é impossível numerar as versões encontradas em todo o mundo. O que mais impressiona ao falar sobre queijos, é que mesmo existindo inúmeras versões, todos são diferentes, e isso pela forte ação do “terroir”, as características que o produto incorpora do lugar onde foi produzido. Existem também alguns exemplos de queijos com a mesma receita, porém com nomes diferentes e vindos de regiões distintas. Isso se explica primeiro pelo “terroir” como dito acima, pois mesmo tendo uma receita igual jamais terão o mesmo sabor, e também pela denominação de origem geográfica, onde determinado queijo só pode ser produzido e nomeado se for feito em uma região especifica. Alguns dos melhores exemplos para mostrar a diferença entre os queijos são os franceses Camembert, Brie, Roquefort e o Gorgonzola. Esses 4 exemplos podem ser facilmente confundidos, e na maioria das vezes as pessoas não percebem a real identidade ao consumir. ROQUEFORT X GORGONZOLA– Queijos similares, mas com receitas e origens diferentes. O queijo Roquefort é o mais famoso “blue cheese” do mundo possuindo um mofo natural chamado “Penicilium roqueforti”. Originário da pequena cidade de Roquefort-sur-Souzon na França, leve esse nome apenas os queijos que tiverem maturação da forma tradicional, nas cavernas do monte Combalou ao sul da França. Nesse ambiente é considerado fundamental e indispensável pela umidade e pela circulação de ar, consideradas ideais. O Roquefort é produzido com leite cru de ovelha e tem textura bastante cremosa. A massa do queijo depois de pronta passa por um processo que se chama “piquage”, garantindo as condições para o crescimento dos fungos. Depois de todas as etapas de produção do queijo concluídas, a maturação final deve ser de no mínimo cinco meses. O queijo gorgonzola é o primo italiano do francês Roquefort, e a diferença mais importante é são os leites utilizados na produção. Enquanto o queijo roquefort é produzido com leite de ovelha, o italiano gorgonzola é feito a partir do leite cru da vaca. Ambos são bem cremosos, mas até mesmo pelo leite de ovelha, o roquefort se diferencia pela intensidade do sabor. Gorgonzola Há quase dois séculos sem ser produzido em sua cidade de origem (Gorgonzola-ITA), é atualmente o terceiro queijo mais consumido da Itália, atrás apenas dos emblemáticos parmegiano reggiano e do grana padano. A produção do Gorgonzola passou por uma modernização ao longo do tempo, e métodos tradicionais foram atualizados. Durante seu processo de produção, o queijo é salgado para perder o excesso de soro, e levado para um ambiente chamado “purgatótio” onde irá desidratar. Em seguida, ele é furado para que os fungos cresçam em seu interior, e levado para maturar em um ambiente úmido e com temperatura controlada. Depois de no mínimo 90 dias, momento onde desenvolve características únicas e potencializa os sabores, o queijo gorgonzola estará pronto para consumo. QUEIJO CAMEMBERT X BRIE– Receitas iguais, mas regiões diferentes Queijo e França são duas palavras que devem sempre andar juntas, em uma relação que impressiona pela variedade, e pela adoração das pessoas pelo produto. Como dito acima, são mais de 400 variedades em difícil tarefa de escolher o melhor. Entre os mais famosos e consumidos estão os queijos camembert e brie, que mesmo tendo nomes diferentes possuem receitas iguais. A diferença primordial entre os queijos citados está no local onde são feitos, nos tamanhos e no formato. O Camembert é originário da região da Normandia e feito em formato circular, já o Brie é originário da região que leva seu nome e vendido em formato triangular. Camembert Produzidos com leite de vaca cru tanto o Camembert quanto o Brie são cremosos, e cobertos por uma casca aveludada e comestível. Essa casca é um tipo de fungo chamado “Penicillium candidum”. Possuem uma textura bastante interessante e podem ser encontrados com diferentes graus de maturação, ou seja, mais ou menos forte ou suave. Os 4 exemplos citados acima são classificados em dois grupos diferentes, o Cambert e o Brie são queijos classificados como “pasta mole”, enquanto o gorgonzola e o roquefort são chamados de queijos azuis. O mais importante e fascinante nessa grande mistura de queijos, é que mesmo o método de produção sendo o mesmo jamais os queijos serão iguais, e isso se explica por uma série de fatores (terroir) que vai desde o tipo de leite usado, até a alimentação dos animais que vão produzir o leite.

Carla Magalhães


"Amo experimentar novos lugares, sabores e emoções! Compartilhar é o meu negócio." Uma verdadeira apaixonada por viagens e gastronomia. Formada em administração, concilia agenda profissional com produção de eventos e seus bordejos. "Assim levo a vida...Bordejando por ai!"
© Copyright 2016 - Radar da Bahia - Grupo Radar